Rio Grande do Norte "parque de diversões off-road"

Quando se trata de rally o estado do Rio Grande do Norte tem um título muito especial. Foi batizado de "parque de diversões off-road" por alguns apaixonados por aventura fora de estrada. A expressão não foi inventada à toa. Entre as praias do nosso vasto litoral e os recantos mais distantes do sertão, são milhares de estradas e trilhas quase completamente desconhecidas. Algumas delas levam a paisagens impressionantes, entre vales, serras, estradões. A combinação é mais que perfeita para a prática do "cross country", ou rally de velocidade. Nos próximos dias as atenções de equipes e competidores do esporte estarão voltadas para o RN 1500 GP ALE, prova legitimamente potiguar considerada atualmente a melhor do país, e a segunda maior em distâncias percorridas. A prova acontece de quarta a domingo e é válida pelo campeonato brasileiro para motos, carros e quadriciclos.
 

Doni CastilhoCompetição deste ano terá uma boa parte dela disputada nas areias da área da Costa BrancaCompetição deste ano terá uma boa parte dela disputada nas areias da área da Costa Branca


A concentração começa em Parnamirim na quarta-feira, dia 11. A cidade que mais cresce no Rio Grande do Norte abre as portas para uma enorme caravana , incluindo pilotos, navegadores e equipes de apoio, além de jornalistas de todas as partes do país. De lá, o grupo segue no dia 12 para o litoral Norte, mais especificamente em João Câmara  onde os motores de fato entram em ação. O primeiro dia termina em São Miguel, onde acontece a primeira grande confraternização do rally. Saindo do litoral Norte, a prova muda completamente de cenário, indo em direção ao seridó potiguar. O ponto de apoio é Currais Novos de 13 a 15, quando a caravana retorna a Natal.

A edição comemorativa de 15 edições do Rally RN 1500 irá privilegiar um de seus ícones. Este ano, indiscutivelmente, terá a especial de velocidade por praia e duna mais completo da história da competição. E a maratona nesse tipo de terreno se concentra logo no primeiro dia. Somente em trecho de duna, a diretoria de estima algo em torno de 20 quilômetros, com um visual privilegiado do litoral Norte do RN.

A etapa pela Costa Branca tem ao todo certa de 200 quilômetros, sendo somente 70 de deslocamento. No restante do percurso, o objetivo é fazer o melhor tempo em 148 quilômetros. "Sem dúvida essa é um dos melhores e mais completos trechos que já tive a oportunidade de ajudar a montar. Temos de tudo, desde duna a lagoas, plantações.. Parece que estamos em um cenário novo a cada instante. Vai ser preciso muito entrosamento e equilíbrio entre pilotagem e navegação", disse o diretor de prova Deco Muniz. "Nenhuma prova no Brasil tem essa variedade de terrenos em um mesmo dia. O estado do Rio Grande do Norte é apaixonante para quem gosta de rally cross country", finalizou.

"Buscamos características únicas"

Há alguma novidade  ?

Desde o início do levantamento de trajeto, até toda a concepção do projeto desta edição de aniversário, buscamos reunir algumas das características que os competidores apontam como sendo únicas na competição. Entre elas, a nossa passagem pela região da Costa Branca. E por isso temos este ano o maior trecho de duna que já concentramos em um único dia. São 20 quilômetros de uma paisagem deslumbrante e única, que representa bem as belezas que temos no nosso estado. Somando a isso, temos o maior trecho cronometrado da nossa história. São 200 quilômetros ao todo, cruzando quatro municípios. A logística para que isso aconteça com segurança precisa funcionar sem falhas.

A prova continua apostando na diversidade de terrenos?

Sem dúvida. Além das praias e dunas, essa é outra característica nossa marcante na opinião dos próprios competidores. Deco Muniz, nosso diretor de prova, assim como eu, é extremamente experiente com levantamento de trajetos - além de ser navegador de rally. Segundo ele, nenhuma outra competição supera o RN 1500 em termos de diversidade de solos e paisagens. É uma caracteística natural que, por si só, faz dessa uma competição interessante.

 

Fonte : Tribuna do Norte